Orpheu Leal

Como é bom viver em Paz!

Textos


             LÍNGUA FERINA

          A LÍNGUA, QUANDO É FERINA,
          SAI DA BOCA SEM CUIDADO,
          PERIGOSA É A PEQUENINA,
          DEIXA O POVO PREOCUPADO.



Obrigado, Mestre heliojsilva, pela brilhante interação:

Aqui se faz, aqui se paga.
Um famoso ditado popular.
Dentre muitos que nos fazem pensar.
Uma palavra pode virar chaga.


Excelente a sua interação, meu nobre amigo Tildé:

Domar a língua é uma arte
Deixa-la solta ferina,
com certeza é um desastre!
provoca uma triste sina.


Obrigado, poetisa UMA MULHER UM POEMA,   por sua  brilhante interação:

A língua não tem osso
Fala o que bem quer
Cuida da vida dos outros
Coça na boca da mulher.


Meu grande amigo poeta, Antenor Rosalino, obrigado pela  brilhante interação:

 Quando o uso é indevido
E a fala é transgredida
Soa triste nos ouvidos
A palavra proferida.


Obrigado, ilustre poetisa ARUANDA, pela magnífica interação:

Aqui se faz aqui se paga
diz o dito popular
em boca que roga praga
não se pode confiar.


Antonio Galdino, ilustre poeta, sua interação ficou excelente:

Trova bem trabalhada
parabéns ao trovador
ela está caprichada
pois foi feita com amor!


Obrigado, meu amigo Alkas, pela bela interação:


Língua pode ser pequenina
mas fere sem tomar cuidado
e pobre daquele coitado
mordido que foi pela sibilina...


Mestre Jacó Filho, sua interação ficou excelente:


Por sempre falar demais,
Ferrei-me sem precisão...
A língua que tem ferrão,
Passa o dono pra traz...


Obrigado, amigo Antônio Carvalho, pela bela interação:
Língua solta também é ferina,
Diz coisas que até Deus duvida,
Só para quando termina,
De falar mal de todos na vida,

Fala de mim, dele, dela...de si
De qualquer um que vier,
 Da manga, goiaba e do sapoti.
Fala de homem, menino e mulher.

Língua grande mal cabe na boca,
Assusta mais pelo veneno,
Conversa tanto que fica rouca
Fica o mundo estreito e pequeno.

Por isso amigo tenha cuidado,
Ouça desconfiado o que ela diz,
É bom ficar preocupado,
Com essa tal língua infeliz.

Assim, lhe dou um conselho,
Na conversa, seja último a sair,
Esse tipo é tão traiçoeiro
Depois fala mal é de mim.


Obrigado, Jajá de Guaraciaba, pela magnífica interação:

COM A LÍNGUA DO LINGUARUDO
HÁ DE SE TOMAR CUIDADO
É MUITO MELHOR SER MUDO
DO QUE SER DESAFORADO.


Ficou excelente a sua trova, fcmourão, meus parabéns!

Língua mansa e sempre quente
oscila em qualquer lugar,
coração que aguente
na hora de tagarelar!


Obrigado, ilustre poeta   Eligio Moura, pela brilhante interação:


Duas orelhas e uma boca
é o que devemos ter
para ouvir muito fazer
e se falar muito pouco.


 
Orpheu Leal
Enviado por Orpheu Leal em 12/01/2018
Alterado em 25/04/2018


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras